Patente - compostos com forte actividade anti-HIV e anti-Plasmodium

O ISCSEM, através do Prof. Nuno Taveira, em consórcio com 3 outras instituições nacionais (Faculdade de Ciências, Universidade de Coimbra, e Instituto de Medicina Molecular e Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa), obteve um financiamento de 50 mil euros da Agência Nacional de Inovação, Portugal, para patentear a nível nacional e internacional um novo grupo de compostos com forte actividade anti-HIV e anti-Plasmodium.


Estes compostos são inéditos a nível mundial e têm grande potencial para o tratamento e profilaxia da infecção HIV/SIDA e da malária. Estima-se que ocorreram 214 milhões de casos de malária em 2015, dos quais resultaram 438000 mortes, a maioria das quais na África sub-Sahariana. Globalmente estima-se que 3,2 biliões de pessoas corram o risco de ser infetadas pelo Plasmodium e desenvolver a doença. Em relação ao HIV, segundo a Organização Mundial de Saúde em 2015 cerca de 37 milhões de pessoas viviam com o HIV, sendo que 2 milhões correspondiam a novos casos, e 1,2 milhões de pessoas infetadas morreram vítimas da doença.