Estudo português defende testes de saliva como alternativa à zaragatoa

Uma equipa de investigadores portugueses, liderados pela Prof. Doutora M. Gabriela Almeida, confirma que as amostras de saliva fornecem alta sensibilidade e especificidade para detecção de SARS-CoV-2 por RT-PCR, sendo o melhor candidato como amostra alternativa aos testes tradicionais de zaragatoa nasofaríngeo e orofaríngea.

Neste trabalho de colaboração da Egas Moniz – Cooperativa de Ensino Superior, CRL com a Faculdade de Farmácia de Lisboa, o Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, hoje publicado na revista Diagnostics, a equipa de investigação alerta para a necessidade de protocolos adequados para colheita de amostras salivares.

Por se basear numa amostra fácil de recolher, o teste de saliva pode aumentar a capacidade de testagem da população, e assim promover a implementação de testes COVID-19 rigorosos, directamente no ponto de atendimento (por exemplo, hospitais, clínicas), e em pontos de controlo de surto (por exemplo, escolas, aeroportos e lares de idosos).

Parabéns a toda a Equipa!

Leia AQUI o artigo.

Leia AQUI a notícia publicada pela Agência LUSA